segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

As coisas são do jeito que tem que ser

As mãos ainda tremiam tamanha a surpresa e a sorte que, aparentemente, resolveu lhe fazer uma visita. Deslumbrada sobre tudo lhe acontecer de repente que nem mesmo reparou quando anotou o telefone no lugar errado da folha. Ainda estava digerindo tudo, sua vida havia lhe dado uma nova oportunidade, na qual esfregava: não desista ainda.
Ora está bem, ora está mal tal como aquelas pétalas roxas que caíam sobre si enquanto subia a rua. Continuava triste, porém havia notícias boas. Estava animada? Sim, como nunca esteve em toda a sua vida. Mas era impossível não ser ingrata. Sua mente estava longe, longe demais, pensando o que não devia. Tinha consciência.
Sabia que esta era a oportunidade perfeita para distrair-se da vida. Um conforto que tanto buscou nos céus e uma mão lhe segurando na terra. Não diria que o tempo abriu, porém de certa forma a chuva ficou mais amena talvez.
_ E ai? - perguntou-me ansiosa, estava mais pálida e gelada que eu.
_ Eu passei. - respondi indiferente. Pois é, agora eu estava mesmo em uma universidade, contudo estava apenas deslumbrada pelas folhas secas anunciando a chegada do outono.

Sob um céu, ninguém vê,
Esperando, vendo isso acontecer.
Não se apresse, dê um tempo,
As coisas são do jeito que tem que ser.
Vai com calma, dê um tempo,
Natureza morta, você sabe que eu estou ouvindo.
O momento que você quer está chegando se você der tempo a isto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Yoo...