domingo, 6 de dezembro de 2015

Gota a gota pelo ralo

Uma parte se esvai aos poucos, como uma chuva que escorre pelo ralo. Não consigo entender, ou talvez eu não tenha coragem o suficiente para descer esse muro sozinha. Não consigo encarar nada sozinha, patética.
Esse silêncio me irrita. Essa sensação de ver alguém idosa querendo ser uma criança só para chamar atenção, também. Gota a gota, vou pingando. Um texto curto, mas suficiente para tirar um pouco essa dor misturada a carência idiota e um toque de revolta.
Nada cai do céu além de chuva por aqui. Preciso me lembrar disso para enfim ganhar  alguns ralados dessa vida como premio de conquista. Conquista essa de enfim dizer: eu fiz algo, eu mudei algo.
Gota a gota pelo ralo. Que os canos me levem para o caminho que preciso, a coragem e imposição. Voz firme, gota a gota, voz firme.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Yoo...