terça-feira, 7 de julho de 2015

Still Want You

O sol brilha em seu age sobre as areias, com a brisa bagunçando meus cabelos e o mar salgado me inundando os pés. Balanço a cintura para lá e para cá, sem me preocupar com nada. Um sorriso branco na face, uma musica ao fundo e as nuvens cantando comigo, me tirando todos os problemas.
Pulinhos e mais pulinhos. Sorvete de uva e castelos de areia. Nada de sombra hoje, quero apenas perder a transparência e correr, correr para o infinito além do meu quarto. Hoje não há você, não há aquele sentimento que ainda carrego, descendo para a terra feito um adeus falso e temporário.
Pés queimam, girando de um lado e do outro. Não é liberdade é felicidade. Felicidade que solta borboletas da barriga, suspiros dos lábios e grilos da cabeça. Não há certo ou errado, hoje está liberado a toxina do bem estar. Feito doidos, feito estrelas das mares e conchas de siris. Sua voz ainda insiste em me trazer lembranças, mas não quando minha melodia te cobre com o som do carro no máximo.
Sorrir, sorrir, sorrir, sorrir. Sorrir até doer. Sorrir até se cansar. Sorrir até que não haja mais motivos para sorrir. Hoje será apenas eu e minha bola de praia. Sereias. Porque é assim, feito maresia, estou cheia de fotos analógicas!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Yoo...